Reitor afirma que situação da UERJ é 'dramática e aviltante'

Resultado dos desastrosos governos Cabral/Pezão (PMDB)

 

Sair da crise é o que todo mundo que mora no estado do Rio de Janeiro espera. Mas para os alunos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) está difícil ver uma luz no fim do túnel. A reitoria da universidade decidiu adiar o início das aulas do período que equivaleria ao primeiro semestre de 2017. O reitor Ruy Garcia Marques diz que situação é aviltante.

 

“A situação é dramática e chega a ser aviltante o que estão fazendo com todos nós, funcionários da Uerj. A imensa maioria tem o trabalho na universidade como seu único emprego. E é humanamente impossível que com quatro meses de atraso, sendo três de salários e um décimo-terceiro, nós possamos continuar desta forma. Começa a faltar para todos até dinheiro para locomoção, para alimentação”, disse o reitor.

 

Marques observou que empresas terceirizadas, que prestam serviço de limpeza, vigilância e manutenção estão trabalhando. Mas não sabe por quanto tempo vai conseguir manter a segurança e os elevadores funcionando, por exemplo, já que essas empresas também não estão sem receber e não terão como manter o salário de seus empregados.

 

“Temos que acreditar que o governo vai nos fazer uma proposta e vai nos pagar alguma coisa hoje, amanhã, semana que vem. Não queremos ficar parados. A universidade não está fechada, só não tem aulas. O retorno às aulas depende do governo nos pagar pelo menos parte dos salários e apresentar um calendário de pagamento”, disse o reitor.

 

Com isso o início das aulas do primeiro semestre de 2017 foi adiado. E não tem previsão de retorno. A Faetec também teve o início das aulas adiado para o dia 7 de agosto. A rede estadual de ensino retornou às aulas na segunda-feira (31) e a municipal, nesta terça-feira (1º). A Secretaria Municipal de Educação informou que houve um problema na licitação e o kit de material escolar vai ser distribuído em 15 dias.

Fonte: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/reitor-afirma-que-situacao-da-uerj-e-dramatica-e-aviltante.ghtml