Prefeita de Saquarema (partido PTN) emprega mais de 20 parentes do marido, do vice e de secretários

 

Na folha de pagamento da Prefeitura de Saquarema, na Região dos Lagos, alguns sobrenomes repetem-se com frequência: Peres, Alves, Vignoli, Oliveira, Aquino, Cabral. Nos últimos seis meses, a prefeita Manoela Peres (PTN) nomeou pelo menos 26 parentes dela e de pessoas que desempenham cargos de chefia no município. A própria prefeita encabeça a lista: seu marido, o ex-prefeito Antonio Peres (PTN), é o secretário municipal de Governo, e outros nove familiares do casal ocupam postos no poder público. Peres ainda conseguiu empregar dois parentes da ex-mulher, Jurede Vignoli, conhecida como Leda.

Foto: Reprodução do Facebook

 

No último dia 21, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, deferiu uma liminar suspendendo a nomeação de três parentes de Peres: Paulo Luiz Barroso Oliveira, Denise Lima Alves e Rosa de Fátima Schwarcfuter Alves (ver quadro ao lado). A assessoria da prefeitura informou que a decisão foi cumprida, mas não apresentou o Diário Oficial, como foi pedido.

 

Seguindo o exemplo de Manoela, o vice Pedro Ricardo Oliveira (PR) emplacou dois parentes. Secretários e vereadores ficaram responsáveis por mais nove indicações.

 

A Prefeitura de Saquarema informou que a nomeação de parentes como secretários municipais não é considerado nepotismo, conforme o STF, assim como a nomeação para cargos em comissão de parentes que já pertençam ao quadro de servidores concursados. O órgão afirmou que esse é o caso de vários citados na lista, mas não deu nomes.

 

‘Afilhados da sorte’ de novo na prefeitura

A diretora geral da Secretaria de Gabinete, Lívia Machado Cabral, emplacou a irmã e o primo na prefeitura. Ex-secretária de Governo na gestão de Peres (2001 a 2008), ela é ré no processo que ficou conhecido como “

Afilhados da sorte”: o então prefeito foi acusado de ter distribuído lotes que deveriam ir para famílias carentes a aliados. A mãe de Lívia foi uma das beneficiadas.

Lívia também é sócia de Peres na empresa de consultoria Saquarema Business Center Ltda. Também faz parte da sociedade Raul Xavier, nomeado direto adjunto do Setor de ISS, da Secretaria de Receita e Tributação, em janeiro deste ano. Por telefone, Lívia disse que não quer se manifestar sobre o processo.

 

‘Fichas suja’ de volta

Antonio Peres tentou concorrer à Prefeitura de Saquarema novamente no ano passado, mas teve a candidatura indeferida devido a uma condenação do Tribunal de Contas da União (TCU). Ele é acusado de superfaturamento na compra de ambulâncias, investigado pela Polícia Federal na Operação Sanguessuga, em 2006. Fora da competição, Peres colocou a mulher em seu lugar.

Foto: Reprodução do Facebook

 

Eleita com 52% dos votos, a dentista Manoela Peres conseguiu que a Câmara de Vereadores revogasse uma lei que impedia a nomeação de pessoas “ficha suja” para cargos comissionados. Duas semanas depois, o marido foi confirmado na Secretaria de Governo.

 

Na mesma ocasião, o ex-prefeito e atual secretário municipal de Saúde, João Alberto Teixeira Oliveira, foi nomeado. Pai do vice-prefeito, ele foi condenado pelo TCU a devolver cerca de R$ 1,8 milhão, por conta de irregularidades encontradas na utilização da verba do Sistema Único de Saúde (SUS), em 1995, na sua gestão.

 

— No caso do Peres, a questão já foi resolvida. O Fundo Nacional de Saúde aprovou o convênio e retornou o dinheiro que havia sido devolvido pelo município. Já o João Alberto entrou com recurso (de acordo com o TCU, o processo foi encerrado em 2013). Ele inclusive é médico da prefeitura — disse Chico Peres, procurador geral e irmão do secretário de Governo.

 

Câmara

O vereador Roger Gomes disse que o irmão é o mais capacitado da cidade para comandar a Secretaria de Esportes, e que Romulo está “fazendo um favor ao município”. O EXTRA não conseguiu contato com o vereador Abraão da Melgil.

Fonte: https://extra.globo.com/noticias/rio/prefeita-de-saquarema-emprega-mais-de-20-parentes-do-marido-do-vice-de-secretarios-21594461.html