CATÓLICOS INSISTEM EM ROER A PRÓPRIA CORDA

 

Há algumas décadas o Brasil era um país majoritariamente católíco, e também possuía grande inserção das religiões de matrizes afro.

 


Era bem mais simples antes da praga neopentecostal avançar sobre o país.


Os católicos, infelizmente, insistem em roer a própria corda. A maioria aderiu ao bolsonarismo nas eleições passadas, ou seja, contribuiram para que esse frenesi neopentecostal se propagasse com ainda mais velocidade.


Os nacionalistas foram os únicos a reconhecer que o catolicismo era um dos nossos últimos guarda-chuvas de identidade nacional, enquanto os próprios católicos aderiram à esse neoliberalismo anti-cristão.


O catolicismo deveria buscar inspiração na Doutrina Social da Igreja e em diversas encíclicas papais de cunho abertamente anti-liberal. Ao invés disso colaboraram com a eleição de um fanático cercado de fundamentalistas neopentecostais.


Não é a troco de nada que católicos assistem sua religião encolher no Brasil a cada ano, estão colhendo o quê plantaram. Eles encolhem e aquela doença anglo-axã protestante, importada, intitulada de "teoria da prosperidade", cresce.


Os últimos guarda-chuvas que nos restaram são o idioma e a integridade territorial... Por quanto tempo ainda vão resistir? Eis a questão.


Acordem enquato é tempo!


André Nunes

Siga no Twitter: @andrenunesfnt

Siga no Facebook: http://www.facebook.com/andrenunes1986

Siga no Youtube: Portal do André Nunes